sábado, 26 de abril de 2014

Praia da Tocha, Verão e Inverno:

Apresento duas imagens compostas da Praia da Tocha (localidade também conhecida por Palheiros da Tocha, situada na Freguesia da Tocha e Concelho de Cantanhede), feitas a partir de 4 fotos tiradas em Agosto e Dezembro de 2009, em dias normais da semana.
A Praia da Tocha é um lugar de contrastes, apresentando-se quase deserta no Inverno (excepto aos fins de semana), mas bastante frequentada no Verão, podendo concentrar grandes multidões durante os Sábados e Domingos dos meses de Julho e Agosto.
Contudo, nos anos 80 e 90, esse contraste era bem mais vincado do que na actualidade. Nessa época, maiores multidões de turistas procuravam a praia no Verão. Em finais da década de 90, algumas pessoas passaram a preferir locais de férias considerados mais nobres, fora de Portugal ou no Algarve. Nos anos mais recentes, a crise económica também por aqui se manifestou. A praia ainda é bastante procurada e frequentada no Verão, mas os tempos dos fins de semana com o areal sobrelotado e dos grandes engarrafamentos automobilísticos, já pertencem ao passado.
Outro factor que acentuava o maior contraste Verão-Inverno visível nos anos 80 e 90, decorria de nessa época apenas residirem umas 20 pessoas na localidade durante todo o ano, enquanto agora a Praia da Tocha alberga cerca de 200 residentes permanentes. População essa que se multiplica bastante no Verão, quando por aqui passam muitos turistas e residentes temporários, pernoitando em casas e quartos arrendados, casas de férias, no parque de campismo e em autocaravanas.
Tocha Beach, Summer and Winter:
Today i present two composite images, made with four photos taken in Tocha Beach, in August of 2009 (above) and December of 2009 (below).
Tocha Beach, also known as Palheiros da Tocha, is a coastal village located in the area of the Civil Parish of Tocha and Municipality of Cantanhede. The beach village is surrounded by miles of forests and desert beaches.
This beach, like many others, is a place of contrasts, being calm and almost desert in the Winter (with the exception of the weekends), and with lots of people in the Summer (with the biggest crowds also in the weekends of July and August).



Localização / Location:

View Larger Map

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Stonehenge à Gandaresa?

Quando vi ao longe as estranhas formas assumidas pelas ruínas de uma antiga casa tradicional gandaresa (feita de adobes e pedra calcária), a primeira ideia que ocorreu na minha mente, durante algumas fracções de segundo, foi associar as suas formas com as de alguns antigos monumentos megalíticos, nomeadamente com o de Stonehenge, um dos mais conhecidos a nível mundial. 
Claro que esta casa é muito mais recente do que as pedras milenares de Stonehenge, devendo ter sido construída algures entre 150 a 300 anos atrás. O facto de as casas gandaresas (ou gandarezas) serem construídas sobretudo com adobes (a que se juntava alguma pedra calcária e madeira); um material pouco durável, mas de fabrico acessível nesta região de solo maioritariamente arenoso ou barrento e quase sem pedra; fez com que estas casas tivessem uma duração temporal e uma habitabilidade limitadas, que dificilmente ultrapassava um século. Normalmente eram construídas pelo seu dono antes do casamento, para aí viver o resto da sua vida juntamente com a sua esposa e filhos não emancipados. Por isso se diz na região que uma casa gandaresa costuma durar o mesmo que uma vida humana.
Deixo aqui algumas fotos tiradas a esta antiga casa gandaresa, durante uma volta de bicicleta ao fim da tarde, em Abril de 2014. O local fotografado situa-se na aldeia da Sanguinheira de Baixo, na Freguesia da Sanguinheira e Concelho de Cantanhede. Por curiosidade, metade das minhas raízes familiares provém das proximidades deste local!

Strange Ruins:

When i first saw the strange shape of this ancient house in ruins, from a distance of more than 100 yards, the first image who appeared in my mind during a split of second, was the image of some prehistoric monuments, like Stonehenge.

These ruins belong to an ancient "Casa Gandaresa", the old traditional houses from this region, built mostly with adobes, but also with wood and limestone in some parts. Of course this house is not so old as Stonehenge, built thousands years ago. It must have been built some 150 to 300 years ago.

With the construction materials available in the region in the past (adobes of average quality, wood and lack of stone), this poor and small houses had a life expectancy of little more than a century.

These houses were usually built by young male adults (18-27 years), before the marriage. So, the couple lived the rest of their lives there. A few years after the deaths of the owners, the houses started to die slowly too...

The pictures were taken in April of 2014, during a bike ride. This place is located in the village of Sanguinheira de Baixo (in the Civil Parish of Sanguinheira and Municipality of Cantanhede).




Localização / Location:

quinta-feira, 3 de abril de 2014

A Fonte do Corgo (do) Encheiro:

A Fonte do Corgo Encheiro (também conhecida por Fonte do Corgo do Encheiro), será possivelmente uma das mais conhecidas e frequentadas fontes de água potável da Gândara. A fonte situa-se a cerca de 200 metros a Este da pequena aldeia do Corgo (do) Encheiro, num ligeiro vale, rodeada por pinhais, terras agrícolas e uma ribeira, que corre a um nível um pouco inferior.
Está localizada na Freguesia da Sanguinheira (no Concelho de Cantanhede), uma das poucas freguesias da região que ainda conservam várias das suas antigas fontes tradicionais, às quais deverei voltar a dar atenção neste blog.
Deixo aqui algumas fotos tiradas no local em Agosto de 2012, durante uma volta de bicicleta matinal. A actual configuração arquitectónica da fonte (teve várias ao longo do tempo), resulta de obras efectuadas em 1999. 
Embora exista uma rede pública de abastecimento de água bastante abrangente em todos os Concelhos e Freguesias da Região (a qual chegou a quase todos os locais habitados da Gândara entre as décadas de 60 e 80 do século XX), muitos pessoas ainda preferem utilizar água dos fontes para beber ou cozinhar (sobretudo daquelas fontes que conservam uma boa reputação popular). As razões pessoais que ditam essa preferência são inúmeras e não as vou discutir. 
Por isso ainda são muitas as pessoas que se deslocam às fontes, a pé ou nos seus veículos, enchendo de água garrafas, garrafões e outros recipientes, que transportam depois para as suas casas.
As fontes de água existentes nos vários concelhos da região, costumam ser objecto de análises periódicas às suas águas, para verificar se estas têm qualidade apropriada para consumo humano, sendo colocados avisos a interditar o consumo de água se algum problema for detectado.

The fountain of Corgo Encheiro:
The "Fonte do Corgo Encheiro" (also known as "Corgo do Encheiro"), is a public water fountain, built in a natural water spring (of drinking water, suitable for human consumption). The fountain is located some 200-250 yards east from the small village of Corgo do Encheiro, in the Civil Parish of Sanguinheira and Municipality of Cantanhede. The fountain is surrounded by woods, agricultural lands and a small stream.

Although there is a water supply network in the region (who is 30 to 50 years old, in most places), many people still prefer to drink water from a few fountains with good reputation. Usually, people park their cars or other vehicles near the public fountain, and they fill bottles, carboys or plastic jerrycans with water, to take home. Personally, i drink water from both sources.
The water of these public fountains is periodically subjected to laboratory analysis by public authorities, to check the water quality for human consumption.

The photos i publish were taken in August of 2012, during an early morning bike ride.







Localização / Location:

terça-feira, 1 de abril de 2014

Um jovem Ouriço-Cacheiro:

Num dia de Dezembro de 2013, ao anoitecer, filmei este pequeno Ouriço-cacheiro (Erinaceus europaeus), que se movimentava pelo meu quintal (na Tocha), à procura de comida. Estes animais são sobretudo nocturnos, mas por vezes também se tornam activos durante o dia, como foi o caso de um outro Ouriço que filmei em 2009 (clicar para ver o post).

Young European Hedgehog:
Today i present a small video about a young European Hedgehog (Erinaceus europaeus), who was moving around in my backyard, at nightfall. This footage was filmed in December of 2013, in Tocha, Portugal.

Although these animals are mostly nocturnal, sometimes there are exceptions in their behaviour, like this and one another that i filmed in 2009 in broad daylight (click here to see the post)!