quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Era uma vez um Pinheiro:

Fotografia de um pinheiro que apresentava uma forma estranha e curiosa, fora do comum. Esta foto foi tirada em Dezembro de 2009, na Praia da Tocha. Actualmente este pinheiro já não existe, uma vez que foi cortado há uns dois anos, por motivos que eu desconheço.
Na orla marítima da Gândara, nas zonas desabrigadas de transição entre as dunas e a floresta costeira, existem muitos pinheiros com formas curiosas e incomuns. Assumem estes aspectos estranhos após décadas de crescimento, lutando pela sua sobrevivência contra os efeitos dos ventos fortes que sopram durante grande parte do ano, provenientes sobretudo do Norte ou do Noroeste (ventos conhecidos em Portugal pela designação de Nortadas).

Once upon a time one pine tree:
A photograph of a pine tree with an odd shape, almost lying down to southeast. The photo was taken in December of 2009, in Tocha Beach. This pine tree no longer exists, because it was cut down two years ago, for reasons unknown to me.
There are hundreds of pine trees with odd shapes in the costal areas of the Region of Gândara, between the dunes and the forest. Growing up slowly during decades, in open areas without shelter against the strong coastal winds (blowing mostly from the North or Northwest (winds known in Portugal by the slang word of "Nortadas")), many pine trees assume odd shapes.


Tremoços a curtir:

Alguns sacos com tremoços a curtir, nas águas correntes de uma ribeira com águas límpidas. Esta fotografia foi tirada em Junho de 2013, durante uma volta de bicicleta, algures na área da Freguesia de Cadima (situada no Concelho de Cantanhede). Por motivos óbvios, não vou referir a localização exacta do sítio onde a fotografia foi tirada.
Na Freguesia de Cadima existiu uma forte tradição popular de produção e comercialização de tremoços, sendo outrora as suas Tremoceiras (mulheres produtoras e vendedoras deste popular petisco), uma presença assídua nas Feiras e Mercados da região. Embora esta tradição ancestral esteja em declínio, tal como muitas outras, ainda existem algumas Tremoceiras na Freguesia de Cadima. Para ajudar a preservar e apresentar ao grande público esta e outras tradições locais da Freguesia de Cadima (produtos locais, artesanato, gastronomia, folclore, música, jogos tradicionais, etc...), é realizada anualmente a Feira do Tremoço (durante o último fim de semana de Maio de cada ano), na Praia Fluvial dos Olhos da Fervença.
A few bags full with grains of "Tremoços" ("Lupinus albus"), which have been prepared for human consumption, under the clean waters of a stream. The "tremoços" are a very popular snack among the portuguese people. Photo taken in June of 2013, somewhere in the area of the Civil Parish of Cadima (Municipality of Cantanhede). To know more about the "Tremoço":
http://en.wikipedia.org/wiki/Lupinus_albus

In the past, in this civil parish, there was a strong popular tradition of "Tremoceiras", female workers whose job was to sow, prepare and sell the "Tremoços" in the traditional fairs and markets of the Region. There are still a few "Tremoçeiras" in Cadima. To show to the public and to help to preserve this and other traditional activities of the Civil Parish of Cadima, every year, during the last weekend of May, is organized a fair of traditional activities (with gastronomy, handicraft, music, dances and games), the "Feira do Tremoço".

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Monte de Fardos de Palha:

Hoje deixo aqui uma curiosa cena campestre, fotografada em Setembro de 2013, durante uma volta de bicicleta. As fotografias foram tiradas na aldeia de Regateiros, pertencente à Freguesia do Bom Sucesso e ao Concelho da Figueira da Foz.
Trata-se de um simples monte de fardos de falha, um entre centenas espalhados pela Gândara. Porque resolvi então colocar aqui estas fotografias?
Foi devido à forma curiosa como estes fardos de palha foram empilhados! Este monte de fardos de palha não vos lembra a arquitectura de algumas civilizações antigas?
Uma curta pesquisa pelo Google permite verificar que os fardos de palha também são usados como material de construção, sendo incorporados em estruturas permanentes ou temporárias. Deixo alguns exemplos obtidos à pressa:

Pile of Straw Bales:

Today i let here two photos of a rural landscape. The photos were taken in the village of Regateiros (located in the Civil Parish of Bom Sucesso and in the Municipality of Figueira da Foz), in Setember of 2013, during a bicycle ride.

There are hundreds of piles of straw bales spreaded throughout the Region of Gandara. But, the unique way as this pile was constructed, don't make us remember the architecture of some ancient civilizations?

Actually, as strange as it may seem, sometimes, the straw bales are used as construction materials. A few examples taken from Google:


Localização / Location:

sábado, 19 de outubro de 2013

Ciclismo em Portomar:

Amateur Cycling Race in Portomar:




Pôr-do-sol em Portomar! Dá-se o Sprint Final! O ciclista vestido de azul ganha a corrida...
Sunset in Portomar! The final sprint! The blue jersey cyclist wins the race...
Portomar is a village located in the Civil Parish of Mira and (also) Municipality of Mira, in Portugal.



Estou de volta ao ciclismo, ao blog e espero escrever por aqui com maior regularidade...

Na tarde do dia 26 de Agosto de 2013, aproveitei uma boleia para me deslocar até Portomar (localidade situada na Freguesia e Concelho de Mira), para assistir a uma prova de ciclismo amador aí realizada (com inscrições abertas para todos aqueles que nela quisessem participar). Esta prova popular realiza-se todos os anos, integrada no programa das festas populares e religiosas tradicionais desta localidade (Festas em Honra de Nossa Senhora do Carmo). 

A prova consiste em efectuar 1+20 = 21 voltas a um circuito urbano realizado nas ruas da localidade (a primeira volta é efectuada devagar, para reconhecimento do percurso, finda a qual se dá a partida real da prova), com uma distância aproximada de 2,3 km por volta.

Por tradição popular, a primeira volta ao circuito (para reconhecimento do percurso), é liderada por um senhor de idade, bastante conhecido e acarinhado pela população local, o senhor "Zé Diniz" (ou Dinis?), o qual aparece nas fotografias vestido com um antigo equipamento de futebol do Sporting Clube de Portugal. Mal acaba de realizar a primeira volta, sob fortes aplausos, o popular "Zé Diniz" encosta a sua bicicleta e junta-se em convívio com a população local, participando na festa popular que rodeia esta prova.

Enquanto decorria a prova, aproveitei para dar uma volta a pé pelo percurso, tirando algumas fotografias pelo caminho. Procurei enquadrar nas fotos da corrida algumas das tradicionais casas gandaresas / gandarezas, que ainda vão existindo em Portomar. A título de curiosidade, voltei a encontrar uma poltrona abandonada na via pública.

Este tipo de provas de ciclismo popular, hoje bastante raras, eram muito comuns há meio século atrás, integradas em centenas de festas populares de muitas cidades, vilas e aldeias de Portugal. Foi graças aos bons resultados obtidos neste tipo de provas, que alguns nomes históricos do ciclismo português conseguiram convites para ingressar em equipas de ciclismo nacionais, as quais lhes permitiram participar e brilhar em grandes provas nacionais, como a Volta a Portugal. Nesse passado já distante, muitos eram os jovens ciclistas amadores com sonhos e ambições pessoais que compravam a sua bicicleta e o seu equipamento com bastantes sacrifícios, treinavam sozinhos e chegados à altura da Primavera / Verão, procuravam obter protagonismo e bons resultados neste tipo de provas, esperando obter o merecido convite para ingressar numa das equipas de ciclismo que disputavam as principais provas nacionais.

No presente, o paradigma da formação de ciclistas mudou radicalmente. Os aspirantes a ciclistas de topo ingressam muito jovens em clubes com equipas de formação ou em escolas de ciclismo e vão participando regularmente em provas por escalões etários. Mas continuam a ser muito poucos os privilegiados que conseguem tornar-se ciclistas profissionais.

Entretanto, no tempo que passou entre este evento e o dia em que estou a escrever este texto, o ciclismo nacional conseguiu um feito histórico de enorme importância, uma vez que um português se sagrou Campeão do Mundo de Ciclismo de Estrada, numa prova épica disputada sob fortes chuvadas! Grande Rui Costa!



















































Localização / Location:


View Larger Map