sábado, 28 de junho de 2014

A Lagoa da Serredade:

A Lagoa da Serredade é uma das pequenas lagoas que ainda existem na Freguesia de Febres (no Concelho de Cantanhede), sobrevivente de um passado longínquo em que lagoas e pântanos dominavam a paisagem desta zona. Mas com o decorrer dos séculos, foram desaparecendo por via do lento assoreamento natural e dos aterros efectuados pelo Homem, para obter terrenos agrícolas e florestais, bem como por razões de saúde pública, pois estas superfícies de água eram grandes viveiros de mosquitos, temidos distribuidores de doenças através das suas picadas. Aliás, o facto de, há centenas de anos atrás, esta ter sido uma zona particularmente propensa a doenças, que tornavam a vida bastante difícil aos seus habitantes, terá estado na origem do nome do principal local da Freguesia, a Vila de Febres.
A pequena lagoa, com menos de meio hectare de área, localiza-se a cerca de um quilómetro a Este do centro da Vila de Febres e a uns 150 metros a sul da aldeia da Serredade, que lhe dá o nome. Esta lagoa, pouco conhecida, encontra-se escondida no meio de vinhedos e plantações de árvores, sendo apenas acessível a pé, a partir de um dos estradões nas proximidades.
As fotos que apresento foram tiradas em Abril de 2014, durante uma volta de bicicleta.

The "Lagoa da Serredade":

The "Lagoa da Serredade" is a small fresh water pond (there are a few others nearby, who are bigger), located nearly one kilometer to East from the center of the Town of Febres (in the Civil Parish of Febres and Municipality of Cantanhede), and some 150 yards South from the small village with the same name, Serredade. The pond is surrounded and hidden by vineyards and woods.
These pictures were taken in April of 2014, during a mountain bike ride.










Localização / Location:

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Era uma vez uma linha ferroviária:

Apresento algumas fotos tiradas num troço do Ramal da Figueira da Foz (ou Ramal da Pampilhosa), uma linha ferroviária que passava no Sudeste da Região da Gândara. Passava no passado, mas já não passa, uma vez que foi encerrada em 2009, numa decisão que permanece envolta em controvérsia.
As fotos foram tiradas em Maio de 2014, a Oeste de Arazede, Vila e Sede de Freguesia, situada no Concelho de Montemor-o-Velho.

Once upon a time a railroad:

A few pictures taken in May of 2014, of a few sections from the "Ramal da Figueira da Foz" (also known as "Ramal da Pampilhosa"), a railroad who was closed in 2009. This railroad crosses the south-east of the Region of Gândara.

The photos were taken near the Town of Arazede, in the Civil Parish of Arazede and Municipality of Montemor-o-Velho.

Mapa do percurso do Ramal da Figueira, retirado da Wikipédia: (clicar)
Map of the closed railroad, taken from Wikipedia (link above in portuguese, no english version available):





Localização / Location:

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Áreas de possível exploração de caulino:

(Actualizado em 26/06/2014:)

Num post anterior, expliquei as razões porque não concordava com a exploração em larga escala de caulino na Gândara. Agora deixo aqui um novo post que é sobretudo informativo.
Andei a pesquisar no site da Direcção-Geral de Energia e Geologia as áreas da Gândara onde foi requerida a prospecção e pesquisa de depósitos minerais de caulino e quartzo. Nos concelhos de Cantanhede, Mira e Figueira da Foz, a pesquisa apresentou-me 5 áreas, todas de grande dimensão. Converti os ficheiros PDF em imagens JPG de grande resolução, para que possam ter uma ideia das áreas pretendidas. Visualizem as imagens numa janela à parte, para que as possam analisar em pormenor.
O facto de uma das áreas pretendidas ser nas glebas florestais entre Berlengas e Cochadas, na Freguesia da Tocha, deixou-me particularmente surpreendido. Não deverá existir muito caulino naqueles solos maioritariamente arenosos, mas possivelmente existirá quartzo em abundância nas areias.

As áreas que tenho visto em discussão nas notícias, sites e redes sociais, são as que aparecem nos mapas da 2ª, 3ª e 5ª imagens. Relativamente às áreas representadas na 4ª e 6ª imagens, não sei como está a decorrer o processo.

Actualização em  26/06/2014:

Reparei hoje, por um post numa rede social, https://www.facebook.com/pages/Movimento_-Anti-Caulino-_ferreiraanova/652173718173003?ref=stream, que houve uma outra empresa que pediu a prospecção e pesquisa de caulino em três zonas da Gândara:
> Numa zona compreendida entre Caniceira, Gesteira e Cochadas.
> Zona entre os Olhos da Fervença e a Estrada Cantanhede-Mira. Muito preocupante, por ser demasiado próximo dos Olhos da Fervença!
> Área a sul de Moinhos da Gândara.

Desconheço como se encontram os processos. Mas relembro ao leitor que, somando todas as 8 áreas pedidas, se tratam de áreas que englobam várias dezenas de quilómetros quadrados!


Fonte das imagens: http://www.dgeg.pt/







26/06/2014: